Formada em Maquiagem Tecnológica, Jac Rabelo, 30 anos, ministra aulas durante a semana e atua como maquiadora profissional nos finais de semana. Para ela, a maquiagem representa beleza, autoestima e deve seguir o gosto e personalidade de cada um. Ao plikko, Jac fala sobre sua trajetória e as tendências para este ano. Por Thais Hiray

“Eu nunca imaginei entrar para a área que eu atuo hoje em dia, a maquiagem. Eu fiz um curso de cabelo, mas não me identifiquei, não gostava muito. Depois, comecei a pesquisar e achei uma graduação de Maquiagem na Universidade Anhembi Morumbi, em São Paulo. Quando olhei a grade curricular do curso, me apaixonei na hora e não pensei duas vezes. Até cheguei a cogitar a ser professora quando era criança, mas nunca imaginei, na vida, que eu seria professora de maquiagem.

Eu já trabalhei na televisão e em desfiles, mas hoje em dia atuo como técnica em maquiagem. Faço palestras e workshops para ensinar os profissionais que querem entrar no ramo. Nós basicamente atualizamos os profissionais que já estão no mercado. A minha rotina é ensinar sobre as diferentes áreas da maquiagem, que vão desde a de salão (comercial) até maquiagem para segmentos mais específicos que incluem TV, foto e passarela, por exemplo. Isso durante a semana; aos finais de semana, sou maquiadora. Trabalho com noivas, madrinhas, gestantes, clientes que procuram o meu trabalho para uma ocasião especial.

Eu cheguei em um ponto da minha carreira onde a minha cliente tem muita confiança no meu trabalho. Como a maioria delas chega por indicação, elas são super abertas a sugestões. Elas falam para eu fazer o que acho que fica melhor – sonho de todo profissional dessa área.

O maior desafio da minha profissão é estar sempre atualizado. O mercado da beleza é um dos mercados que mais crescem, tanto em técnicas quanto em produtos. Então, se você para, é muito difícil acompanhar as tendências. A cliente te procura já sabendo o que ela quer, a técnica que ela viu, então você tem que estar sempre antenado. As pessoas acham que a maquiagem de Instagram, por exemplo, é a maquiagem para todo mundo e não é – é para uma minoria. É um grande desafio mostrar que existe algo além dos padrões.

Para este ano, a tendência é uma pele mais low, algo mais uniforme e bem iluminado. As pessoas querem a impressão de que elas não usaram maquiagem nenhuma. E, pelo contrário, esse efeito não se dá pela ausência de maquiagem, é preciso colocar tudo: corretivo, pó, base. Além da pele, as texturas estarão em alta: mais metalizadas para as sombras, delineadores coloridos e um batom com um efeito glaceado e mais iluminado.

Apesar das tendências, a maquiagem é muito gosto, é como você se mostra ao mundo. Ela permite você brincar não só com as texturas e as cores, mas com os sentimentos também.”